…no princípio

2018, instalação,  aço corten, casquinha, água, terra vermelha, cinza, coluna áudio, 110x110x40 cm (1x), 50x50x10 cm (2x); áudio: um canal, 7´40”, loop.
 
Coleção Figueiredo Ribeiro – Quartel da Arte Contemporânea de Abrantes
 

“…no princípio” (…) é uma obra composta por três tabuleiros em aço corten, um maior e dois mais pequenos, assente cada um em quatro pés de madeira, bases em formato de canto. Cada tabuleiro contém um elemento da natureza.

Na tradição chinesa, os cinco elementos componentes da terra são água, terra, fogo, madeira e metal. Os dois tabuleiros de menor dimensão apresentam terra e cinza. Neste caso, o fogo é substituído por cinza, símbolo da morte, de redução do que antes teve vida, mas também de fénix e renascimento. A terra, considerado o último dos elementos regentes do planeta a se formar, uma vez que a sua solidificação integra em si o fogo, a água e o ar, surge com o tom vermelho, sinónimo de fertilidade e também de Homem, dado que Adão foi criado a partir da terra vermelha.

No tabuleiro maior encontramos água, o elemento regente em termos astrológicos e símbolo sagrado da vida a nível religioso. O efeito da água no aço corten é de oxidação pelo que a base ganha uma patine própria de cor amarela-alaranjada que reporta para algumas fotografias apresentadas.

Esta instalação contempla ainda uma componente sonora. Por baixo do tabuleiro maior, uma coluna áudio emite um som vibracional e as ondas sonoras criam trepidação na água, evocando a frequência da Terra, a vibração do mundo natural universal. Esta trilogia convoca assim os materiais na origem da criação e reúne os conceitos de vida, céu e morte, na convergência dual ciência vs. espiritualidade.

Adelaide Ginga